31 de mai de 2010

TvjonoMsn.com

@tctctctctc
Encontros e bate-papos com as pessoas presentes, de corpo e alma, é coisa do século passado, 
Hj em dia, conversa, só pelo computador, de mouse e @lma. 
E digo mais: tctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctctc.
T+

29 de mai de 2010

Hilária Clintores

Hillary vê discordância séria com Brasil

Para americana, acordo entre Brasília e Teerã só ajuda o Irã a ganhar tempo e torna o mundo mais perigoso 

Secretária de Estado dos EUA afirma já ter feito ao governo brasileiro alerta de que o país está sendo usado pelo Irã

Na maior exposição pública de contrariedade dos EUA com o Brasil desde o anúncio do acordo entre Brasília e Teerã no início da semana passada, a secretária de Estado dos EUA disse ontem que Washington tem "discordâncias muito sérias" com o governo brasileiro quanto à abordagem da questão.
Hillary falava em Washington sobre a nova Estratégia de Segurança Nacional da Casa Branca quando foi indagada se o Brasil passou a ser considerado pelos EUA como "parte do problema" -especialmente após a insistência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em tentar evitar sanções a Teerã por seu programa nuclear.
"Certamente temos discordâncias muito sérias com a diplomacia brasileira em relação ao Irã. Dissemos ao presidente Lula e ao ministro [Celso] Amorim [Relações Exteriores] que ajudar o Irã a ganhar tempo e evitar uma posição internacional unânime contra seu programa nuclear torna o mundo mais perigoso", respondeu.
Como a Folha revelou ontem, o acordo que Brasil e Turquia fecharam com Teerã segue roteiro traçado pelo presidente dos EUA, Barack Obama, em carta enviada a Lula em abril.
Apesar de o Brasil seguir a receita dos EUA, porém, o pacto foi esnobado por Washington. No dia seguinte à sua divulgação, a Casa Branca apresentou ao Conselho de Segurança da ONU esboço de resolução com novas sanções ao Irã, referendado pelos demais membros permanentes do órgão (Rússia, China, França e Reino Unido).

Procurada pela Folha para explicar a mudança de posição, a Casa Branca disse que não comenta correspondência diplomática.
Hillary afirmou ontem ter dito ao governo brasileiro "que o Irã está usando vocês, que achamos que é hora de ir ao Conselho de Segurança e que só depois de ação [nesse fórum] o Irã se engajará de fato" na discussão sobre seu programa nuclear.
A secretária insistiu, porém, que a discordância "de forma alguma mina o compromisso dos EUA em ter o Brasil como parceiro efetivo neste hemisfério e além".
"O Brasil é parte de solução; em um grande número de temas o Brasil é um parceiro responsável e eficaz."
Ela mencionou como exemplos positivos a atuação conjunta após o terremoto no Haiti, na ação relacionada à mudança climática e na relação comercial.
Em outro momento, Hillary também elogiou o Brasil por ter carga tributária alta em relação ao PIB, o que segundo ela favorece o desenvolvimento econômico.

DOCUMENTO
O texto da Estratégia de Segurança Nacional de Obama, divulgado ontem, menciona brevemente o país, sem considerá-lo porém um "centro-chave de influência".
Essa distinção foi reservada para os outros países do grupo dos Brics -China, Índia e Rússia. O Brasil foi citado como "país de influência crescente", ao lado de África do Sul e Indonésia.
Em outro momento, o documento diz que os EUA "apreciam a liderança do Brasil e seu esforço para ir além das antigas divisões Norte-Sul" na abordagem de temas internacionais.
Por fim, o texto diz que os EUA trabalharão com o Brasil no G20 e na Rodada Doha.


Andrea Murta de Washington

27 de mai de 2010

Tendinitiiiisss

Desenhar é Sofrerrrr

25 de mai de 2010

Migalhas aos aposentados

Por que o presidente não veta o 30% de propina? Pq não veta o desvio de verba na construções de Hospitais e Escolas? Pq não veta o mau uso do dinheiro em obras inacabadas e superfaturadas? Pq não veta os 40 bilhões (maiomenos) que somem na lama da currupção por ano? Pq não veta a festa que os Parlamentares fazem com a verba dos gabinetes? Deviam igualar a aposentadoria deles com a do Povo Brasileiro. Desculpem a grosseria, mas dá vontade de mandar esses caras pra P#$%^&# que o Pa#@##!!!
Lula vai vetar o fim do fator previdenciário, dizem ministros

Os ministros Guido Mantega (Fazenda) e Paulo Bernardo (Planejamento) disseram nesta segunda-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu vetar o fim do fator previdenciário, mas ainda não se decidiu sobre o índice de reajuste aos aposentados que ganham acima de um salário mínimo.

A declaração foi feita depois de reunião com o presidente Lula, em Brasília. O ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais), que também estava presente no encontro, negou que o veto ao fim do fator previdenciário já estava certo. Segundo ele, Lula ainda não se decidiu sobre nenhuma das duas questões.

"A questão do fator previdenciário está definido que vai ser vetado", disse Bernardo. Ele e Mantega voltaram a sugerir a Lula que também vete o reajuste de 7,7% aos aposentados, aprovado na semana passada pelo Senado.

Bernardo admitiu, porém, que dificilmente Lula deverá vetar o índice, já que isso obrigaria o governo a encaminhar uma nova medida provisória ao Congresso ou então a não dar reajuste a este um terço dos aposentados que ganham acima de um salário mínimo.

"O compromisso que o governo fez com as centrais sindicais e com as lideranças políticas foi de [reajuste de] 6,14%. Se tivermos alternativa de manter esse compromisso nós vamos fazer. Mas ficou muito difícil porque, vetando, não poderá fazer um novo reajuste."

Segundo Padilha, o presidente vai decidir se veta ou não os dois pontos do projeto antes que a atual MP expire, o que ocorre no dia primeiro de junho.

"O presidente não fechou a sua ideia. Ele ouviu a área econômica que apresentou a sugestão. Várias vezes a área econômica apresenta coisas para o presidente e o presidente força e busca outras alternativas", disse Padilha.


Fábio Amato de Brasília

23 de mai de 2010

MTV 1994 - Gastão em Brasília

Vi todas essas Bandas ao vivo.
Nesse programa aparece  o Feijão, uma lenda do Rock Braziliense, R.I.P.
E o Phu, figuraça, Os WallacesGabriel Thomas Jovenzinho, Zé Ovo, Bacalhau, Podrão, Marcelão Big Head, Cafagerson, Salsicha, Alf, X Cãmbio Negro, Os Cabeloduro (adorava os Shows), Silvio Pravda, Felipe Caduco, DFC, mó galera, VÉI!
Essa foi a minha Geração, era um desses mulekidododocerrado, VÉI!
Quero agradecer ao Pipo, filho de Oônoléia (acho q escreve assim), irmão de Micalatéia, por ter me mostrado esses vídeos.

















21 de mai de 2010

Sujô!


Ficha limpa só vale para condenação futura, diz TSE

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Ricardo Lewandowski, afirmou ontem que, pelo texto aprovado na noite de quarta-feira pelo Senado, o veto à participação de candidatos com “ficha suja” só valerá para aqueles que forem condenados depois da sanção da lei pelo presidente Lula.

A polêmica tem origem na mudança feita pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) no texto aprovado pela Câmara. No original, o projeto previa que ficariam inelegíveis aqueles políticos “condenados” por um tribunal colegiado, mas sem nenhuma menção ao momento da condenação.

No entanto, Dornelles incluiu o termo “que forem condenados”, o que deu nova leitura ao texto. Agora, a inelegibilidade só valerá para condenações futuras, anistiando um político que foi condenado antes da lei entrar em vigor.

Lewandowski disse que ainda não teve acesso direto à lei, mas a avaliação que pode ser feita, pelo menos no campo gramatical, é a de que ela só vale para os condenados após a promulgação do ficha limpa. “Se prevalecer a redação aprovada pelo Senado, o texto não deixa dúvidas sobre o período de validade da lei”, disse o presidente do TSE.

Atento à possível disputa judicial que a mudança pode gerar, o procuradorgeral da República, Roberto Gurgel, afirmou que irá defender a validade imediata da legislação. 

Com relação o uso da nova regra para as eleições deste ano ou somente para as de 2012, Lewandowski disse que o TSE dará uma resposta o mais rápido possível sobre o tema. 

Os ministros terão de decidir se o artigo 16 da Constituição Federal, cujo conteúdo prevê que uma mudança no processo eleitoral só vale se for ser ratificada um ano antes do pleito, tem ou não efeito sobre o ficha limpa.
Redação: Helton Gomes
fonte: eband

19 de mai de 2010

Vida Idiota!

17 de mai de 2010

Ressaca Cultural

14 de mai de 2010

Férias merecidas!

Tuma Jr. será alvo de inquérito da PF
BRASÍLIA - A Polícia Federal deve abrir na próxima semana inquérito para investigar o suposto envolvimento do secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, com o chinês Li Kwon Kwen, o Paulo Li, acusado de contrabando de celulares, entre outros crimes . Mas a situação do secretário pode se complicar a partir de um dos inquéritos já abertos com base na Operação Wei Jin. Na investigação, mantida em sigilo até o momento, a polícia descobriu fortes indícios de fraudes em processos de regularização de chineses clandestinos no Brasil.

Pela versão oficial, Tuma Júnior entrou de férias por 30 dias para se defender das acusações. Mas, pela decisão do Ministério da Justiça e do Planalto, ele não volta ao cargo. O governo considera que a proximidade com Paulo Li tornou insustentável a permanência, na Secretaria Nacional de Justiça, de Tuma, alvo de investigação em três frentes: inquérito a ser aberto na PF, investigação interna da Controladoria-Geral da União e na Comissão de Ética.

13 de mai de 2010

Quem não chora não mama!!

11 de mai de 2010

FICHA LIMPA!?

PP de Maluf lidera cerco ao projeto Ficha Limpa

Entre os opositores do projeto Ficha Limpa, que proíbe candidatos com condenações na Justiça, a bancada do PP na Câmara vem se destacando ao tentar desfigurar a proposta inicial. O deputado Paulo Maluf (PP-SP) é um dos poucos parlamentares que podem ser declarados inelegíveis caso o texto seja aprovado.

Maluf foi condenado em abril deste ano pela 7.ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo a ressarcir suposto prejuízo com o superfaturamento de 1,4 tonelada de frango ao custo de R$ 1,39 milhão, pagos pelo município de São Paulo, que administrava em 1996. O ex-prefeito afirmou que vai recorrer do acórdão no Superior Tribunal de Justiça, mas a decisão em seu desfavor é colegiada, ou seja, realizada por mais de um juiz, pré-requisito do Ficha Limpa para declarar um candidato inelegível.

Na guerrilha pela derrubada do projeto, 11 deputados do partido votaram na noite de quinta-feira a favor de um destaque proposto pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tentava vetar trecho da lei que tornaria inelegível por oito anos os condenados por abuso de poder econômico ou político em eleições.

Na prática, no entanto, se a expressão fosse retirada do texto final, o projeto inteiro poderia ser prejudicado por razões de inconstitucionalidade - o que beneficiaria Maluf. O ex-prefeito foi um dos que votou para derrubá-lo, mas sem sucesso. Na próxima terça-feira, o projeto passará por novo crivo da Câmara com a votação de um destaque proposto pelo deputado do PP João Pizzolatti (SC).

8 de mai de 2010

Voltando da Escola

Esse garoto é muito esperto!

Fernando Sarney é indiciado pela PF acusado de evasão de divisas
A Polícia Federal indiciou hoje o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acusado de remeter ilegalmente dinheiro para fora do país. O advogado de Fernando, Eduardo Ferrão, confirmou que Fernando prestou depoimento, mas disse que não tinha informações sobre o indiciamento. 
A Folha revelou em março que autoridades brasileiras receberam a confirmação do governo da China de que Fernando fez transações milionárias nesse país. Ele não teria declarado o dinheiro à Receita Federal. 
O indiciamento do empresário, por evasão de divisas, ocorreu especificamente por causa de uma remessa de US$ 1 milhão feita por ele para uma agência do HSBC em Qingdao, na China.

O dinheiro saiu de uma conta em nome de uma offshore nas Bahamas, conhecido paraíso fiscal do Caribe, pelo filho do presidente do Senado. A autorização da transação foi assinada de próprio punho por Fernando.

A pedido do Brasil, o governo chinês confirmou ao Ministério da Justiça não só a autenticidade do documento, mas também a existência da conta nas Bahamas e a efetiva transferência do dinheiro para Qingdao.

Recursos no exterior não informados ao fisco podem ser fruto de sonegação de tributos, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

6 de mai de 2010

O Buraco é mais em baixo


3 de mai de 2010

Encontro com a Morte

"Faculdade de Medicina da USP ensina a conviver com a ocorrência da Morte"
Essa ilustração fiz para matéria do Diário Oficial do Estado de São Paulo, de novembro de 2007. Baseado numa cena "Crássica" do filme "O Sétimo selo" de Ingmar Bergman.
Reportagem de Viviane Gomes, Agência Imprensa Oficial